quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Ainda Orangotangos: amar ou odiar?


Na quarta-feira passada, em um lindo encontro entre amigos que também são blogueiros (Juliano Medina, Gabriela Roehrs, Denize Maia, eu e Juliana Roehrs), fui assistir o filme de Gustavo Spolidoro "Ainda Orangotangos". Confesso que as minhas expectativas eram gigantescas, posto que é um filme gravado em plano-seqüência e tudo mais. Bizarramente, não sei se gostei ou não.

Ok, vou ser mais expecífica. Gostar, eu gostei! No entanto, saí do cinema com uma confusão habitando a minha cabeça. O filme é muito interessante, as transições entre seis contos do escritor Paulo Scott - que era o meu maior medo - se dão de maneira muito boa (e simples) e provoca algumas risadas e sustos. Uma coisa interessante é o fato de toda a história rodar em um raio de 15km em Porto Alegre, sendo que a maior parte se passa na Rua Venâncio Aires - para os moradores da região, esse fator faz com que a pessoa se sinta ainda mais ligada à história.

Outro ponto que me surpreendeu foi a qualidade da trilha sonora, que inclui grandes bandas e clássicos gaúchos dos anos 80. Como não poderia faltar, a música "Soltaram!", do Pata de Elefante, se fez presente na trilha - e eu tenho a impressão de que ela toca em todos os lugares do mundo (apesar de tudo, eu gosto muitão dela!). Além dessa, versões de clássicos como "Festa Punk" e "Shoobidahbidoobah, Porto Alegre é meu Lar", a presença, em massa, da banda Damn Laser Vampires, sobre a qual eu já falei antes aqui, e a presença da banda do Bruno, a A Red So Deep.

Sem dúvida alguma, o "Ainda Orangotangos" merece ser assistido e prestigiado, posto que é o primeiro plano-seqüência do Brasil. Entretanto (e quem me conhece sabe que esse "entretanto" sempre surge), o filme confunde muito e é um tanto impossível sair do cinema sem se perguntar: ok, qual é a moral do filme? Acho que depois de uma semana matutando, cheguei à uma conclusão: a moral é que todo mundo é louco.

Um comentário:

roehrs disse...

Tb fiquei confusa qnto a ter gostado ou não do filme... mas acho que gostei sim e saí igualmente confusa! hehe
e realmente, pelo filme se passar pelos arredores da minha casa, senti quase como se estivesse dentro do filme, acompanhando tudo de perto!! E foi mto bizarro sair do cinema com dia claro sendo que o filme termina d noite. sso me deixou mais atordoada! hehe